Skip to content

Top 60: Os Melhores Filmes da Década (2000-2009) Parte 1 (60-51)

02/08/2010

Faz um bom tempo já que eu estou querendo postar aqui a minha lista de filmes preferidos da última década, mas de alguma forma não conseguia achar tempo, nem finalizar uma lista que deixasse completamente satisfeito. É provável que em um tempo essa lista mude completamente, mas eu acredito que no momento eu consegui chegar num consenso comigo mesmo de uma compilação que vale a pena mostrar. A princípio a intenção era fazer um Top 50. Faz muito mais sentido, é um número muito mais redondo, etc, etc. Porém, ao olhar a minha lista, eu percebi que eu tinha uma grande vontade de inserir os filmes que estão entre as posições 60 até 51 nesse post, o que eu não sentia tanto com os filmes de 70 até 61. Portanto, será um Top 60, porque o blog é meu e eu invento as regras.

Antes de começar com os filmes em si, queria chamar a atenção para uma discussão mais específica. Estava pensando com meus botões quem eu consideraria o diretor da década, analisando regularidade de sua carreira nesses dez anos. A princípio eu poderia citar Paul Thomas Anderson, que fez grandes obras em todos os seus lançamentos, porém esses totalizam a pequena quantia de 2. É possível argumentar algo sobre Charlie Kaufman, que participou da produção de vários filmes e escreveu duas obras-primas, mas se considerar a direção em si, ele só dirigiu um filme. Muitos discordarão de mim, mas eu também acredito que essa tenha sido uma grande década de estréia para Jason Reitman, que fez três grandes filmes, e é uma grande promessa para o futuro. Mas o nome que eu escolho no final das contas, e eu posso estar colocando muito do meu gosto pessoal nessa porque ele já se tornou um dos meus diretores preferidos, mas acredito que ninguém teve uma década tão eficaz quanto Christopher Nolan. Conseguiu fazer dois grandes blockbusters de grande qualidade e enorme sucesso comercial, e dois excelentes filmes, seguindo bastante o estilo que mais gosta.

Sobre atores, acredito que eu escolheria Leonardo DiCaprio. Durante essa década a sua nova parceria com Martin Scorsese lhe rendeu três filmes, em que sua atuação é uma das melhores coisas de cada filme. Além de apresentar outros três grandes trabalhos em Prenda-Me Se For Capaz (Catch Me If You Can, 2002), Diamante de Sangue (Blood Diamond, 2006) e Foi Apenas Um Sonho (Revolutionary Road, 2008). Lógico que não poderia de citar Russell Crowe também, que apesar de não ter apresentado tanta regularidade, começou a década com atuações inesquecíveis com filmes como Gladiador (Gladiator, 2000) e Uma Mente Brilhante (A Beautiful Mind, 2001), e seguiu sempre com trabalhos bem construídos. Do lado das mulheres, Kate Winslet pode não ter feito somente filme brilhantes, mas tem um número de atuações marcantes mais do que o suficiente para ser comentada aqui. Só por Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, 2004), Em Busca da Terra do Nunca (Finding Neverland, 2004), Foi Apenas Um Sonho e O Leitor (The Reader, 2008) essa mulher já merecia uma estátua. Sem falar em Contos Proibidos do Marquês de Sade (Quills, 2000) e Pecados Íntimos (Little Children, 2006).

Mas chega de conversa, foi apresentar a lista de uma vez. Como de costume, sempre que faço uma lista tenho que fazer algumas menções honrosas, porque ninguém é de ferro. Selecionei 5 filmes que não estão entre os 60 para comentar rapidamente a seguir:

Amores Brutos (Amores Perros, 2000, Alejandro González Iñárritu): O primeiro filmes da trilogia do acaso de Iñárritu é um grande filme, com atuação muito eficientes e uma história muito envolvente. Não é o melhor dos três, mas certamente merece ser citado.

A Lula e a Baleia (The Squid and the Whale, 2005, Noah Baumbach): A Lula e a Baleia é um daqueles filmes onde a história não obedece um rigor de se começar e fechar um ciclo narrativo, ao invés disso simplesmente retrata um momento na vida das personagens trazendo sentimentos o mais reais possíveis. Nesse sentido, é um filme muito interessante de se ver.

Onve Vivem os Monstros (Where The Wild Things Are, 2009, Spike Jonze): Até esse ponto eu já consigo considerar Spike Jonze um dos diretores mais geniais do mundo hoje, e com mais essa obra de arte ele mostra como é possível usar criatividade e originalidade para fazer uma história de um livro infantil fazer as pessoas pensarem e sentirem.

Garçonete (Waitress, 2007, Adrienne Shelly): Eu olhava um pouco feio pra esse filme antigamente, achava que era uma daquelas comédias românticas fabricadas pra garotas. Não podia estar mais enganado, essa é sim uma comédia romântica, mas uma extremamente criativa, divertida e eficiente, com grandes atuações. É uma pena o que tenha acontecido com Adrienne depois das filmagens, podia ter virado uma grande diretora.

Filhos da Esperança (Children of Men, 2006, Alfonso Cuarón): A primeira vez que eu vi esse filme, ao começarem os créditos eu achei que eu não tinha gostado também, mas então eu percebi que eu não tinha parado para respirar uma única vez o filme inteiro. Muito intenso, e possui uma história muito interessante.

Então sem mais delongas, começando a lista oficial:

60# Em Busca Da Terra Do Nunca (Finding Neverland, 2004, Marc Forster)

“Porthos dreams of being a bear, and you want to shatter those dreams by saying he’s *just* a dog? What a horrible candle-snuffing word. That’s like saying, ‘He can’t climb that mountain, he’s just a man’, or ‘That’s not a diamond, it’s just a rock.’ Just.”

Eu começo a achar que não existem limites para o alcance do talento de Johnny Depp. Para uma mesma pessoa desenvolver trabalhos como Captain Sparrow e Willy Wonka, e ter a sensibilidade dramática para construir uma personagem como J. M. Barrie é uma coisa realmente impressionante. E ele não está sozinho aqui, Kate Winslet coestrela esse filme com maestria, e o garoto Freddie Highmore mostra porque é um dos maiores talentos da nova geração de atores, com um trabalho que invejaria muito ator experiente por aí. Marc Forster conduz o filme com grande habilidade, manipulando os acontecimentos para trazer o espectador a momentos muito emocionantes e cheios de sentimento. A história também traz muitos aspectos interessantes, principalmente relacionado à relação que Barrie cria com essa família, como ela se desenvolve, e como ela afetará sua vida no final das contas.

59# Hora De Voltar (Garden State, 2004, Zach Braff)

“I’m okay with being unimpressive. I sleep better.”

Hora de Voltar é o primeiro longa dirigido e escrito por Zach Braff, e mostra muito talento, principalmente na parte do roteiro. A história possui tantas idéias interessantes que são mostradas o tempo, relacionadas com esse homem que vem vivido sua vida em um tipo de piloto automático, e um retorno a sua cidade natal começa o fazer perceber que ele precisa começar a viver de verdade. Zach também estrela no filme, e forma um grande time junto com Natalie Portman e Peter Sarsgaard. Uma combinação de boas atuação e uma história que mostra real conteúdo em muitas ocasiões fazem desse um tipo de drama com comédia e romance que vale muito a pena ser visto.

58# Ghost World (Ghost World, 2001, Terry Zwigoff)

“Maybe I don’t want to meet someone who shares my interests. I hate my interests.”

Antes que Scarlett Johansson virasse a celebridade que é hoje ela fez um pequeno filme em 2001 chamado Ghost World, formando uma dupla com Thora Birch, recém saída do filme ganhador do Oscar Beleza Americana (American Beauty, 1999). O filme é uma comédia muito original que lida com muitas questões de relacionamentos entre pessoas que fogem do padrão e se sentem deslocadas. Muitas situações interessantes são criadas durante o filme, com a relação entre a dupla principal, e delas com um estranho que elas conhecem e começam a perseguir por diversão. O filme diverte muito como comédia, e em muitas vezes funciona muito bem como drama também.

57# Quase Famosos (Almost Famous, 2000, Cameron Crowe)

“I always tell the girls, never take it seriously, if ya never take it seriosuly, ya never get hurt, ya never get hurt, ya always have fun, and if you ever get lonely, just go to the record store and visit your friends.”

Para começar que eu nunca na minha vida recusarei um filme sobre rock n’ roll, ainda mais com a história situada nos anos 70. Mas o atrativo desse filme certamente não é somente musical. A história contada com o aspirante à jornalista de música William Miller tentando se infiltrar no mundo do rock n’ roll é cheia de aspectos muito interessantes. E é nessas tentativas que ele conhece a melhor e mais complexa personagem do filme, a groupie Penny Lane, sendo interpretada com a melhor atuação da carreira de Kate Hudson. A forma como Cameron Crowe conduz essa história paralela com a história da banda Stillwater é muito eficiente, nunca deixando o filme ficar cansativo e não divertir. Vale a pena ver mesmo para quem não é fã de rock.

56# Embriagado De Amor (Punch-Drunk Love, 2002, Paul Thomas Anderson)

“I have a love in my life. It makes me stronger than anything you can imagine.”

Paul Thomas Anderson é sem a menor dúvida um dos melhores diretores do mundo hoje. Ele já é o autor de muitas obras muito bem feitas, muito complexas, e ao mesmo tempo com muito valor de entretenimento. E Embriagado de Amor é o melhor exemplo disso, onde temos uma comédia romântica cheia de simbolismos, interpretações duplas, e ainda assim nunca deixa de divertir. E quem diria que Adam Sandler consegue trazer uma performance com humor tão criativa e original quanto essa. É impressionante o quanto alguns atores conseguem se superar quando dirigidas por um bom diretor. Emily Watson completa o casal com um trabalho muito bom, como sempre, além de todos os coadjuvantes que não fazem o nível do filme cair.

55# Elefante (Elephant, 2003, Gus Van Sant)

“Eeney… Meeney… Meiny… Moe… Catch a… Tiger… By its… Toe …”

Provavelmente vai ter gente que não vai gostar desse filme estar tão baixo na lista, mas eu tenho que admitir que foi um filme que não clicou comigo emocionalmente tanto quanto poderia. Porém é muito difícil de não reconhecer tantas outras qualidades. O uso da câmera e de planos-sequência longos é genial, sempre ajudando muito a construir a tensão que é culminada finalmente no final do filme. Nenhum trabalho em atuação comprometeu o filme, mas também nada marcante. O grande ponto alto do filme é realmente a fotografia, e a forma que o filme é editado, que é realmente muito interessante.

54# Clã Das Adagas Voadoras (Shi Mian Mai Fu, 2004, Yimou Zhang)

“To be free like the wind.”

O Clã das Adagas Voadoras é de longe o meu filme preferido entre os filmes orientais de artes marciais que tem pessoas super poderosas. O filme, visualmente, é simplesmente maravilhoso. Possui inúmeros momentos que tiram o seu fôlego com uma facilidade muito grande. As cenas de luta e de dança são muito bem coreografadas, mostrando sempre movimentos bonitos e impressionantes. O trabalho da já conhecida Ziyi Zhang como a cega Mei é realmente muito bom, e dá um poder maior ao filme. E não posso falar desse filme sem deixar de comentar sobre a cena dela com os tambores, que até hoje eu lembro perfeitamente, e nunca irei esquecer.

53# Simplesmente Feliz (Happy-Go-Lucky, 2008, Mike Leigh)

“Mirrors, signal, maneuver, En-ra-ha.”

Simplesmente Feliz deve ser uma das maiores surpresas presentes nessa lista. O filme aparentemente parece ser uma comédia com nada muito especial, mas realmente se mostra muito mais um drama com a comédia muito presente e com uma história extremamente original. Sally Hawkins está fenomenal nesse filme. Eu não acredito até hoje que ela não tenha sido indicada ao Oscar por esse trabalho. Eu entendo não ganhar porque 2008 realmente foi o ano de Kate Winslet, mas pelo menos uma indicação era muito mais que merecida. Esse é outro filme que tem uma ajuda muito grande de personagens coadjuvantes, principalmente do instrutor ranzinza interpretado por Eddie Marsan. Mike Leigh mais uma vez mostra sua enorme capacidade.

52# 21 Gramas (21 Grams, 2003, Alejandro González Iñárritu)

“Did you know that eating alone could cause kidney damage? And that’s bad.”

Esse sim eu diria que é o melhor filme da trilogia de Iñárritu. É um daqueles filmes que é um pouco complicado você gostar plenamente vendo pela primeira vez, até porque a narrativa é toda quebrada, e vai e volta na progressão da história o tempo inteiro, então pode ser complicado pescar todos os detalhes. Mas o filme é feito com uma sensibilidade enorme, um texto muito bem escrito, e um trio de atores sensacional. Sean Penn, Naomi Watts e Benício Del Toro juntos em muitos momentos fazem o filme valer a pena, e passam para o espectador a carga emocional que a história pede que seja passada. Além disso, a forma que a narração é conduzida torna tudo mais intrigante e te deixa o tempo todo tentando decifrar os acontecimentos.

51# Irreversível (Irréversible, 2002, Gaspar Noé)

“You’re behaving like an animal. Even animals don’t seek revenge.”

Esse filme acabou criando uma certa fama por possuir uma cena forte particularmente difícil de assistir. Eu diria que possui várias (apesar de realmente ter uma que se destaca), mas não por isso que o filme deveria ser conhecido. O filme impressiona muito logo no começo mostrando sua forma inovativa de filmagem e mostrando algumas coisas pouco agradáveis, e eu confesso que a princípio eu já estava começando a ficar com dor de cabeça. Mas enquanto o filme se desenrola você vai percebendo o quanto ele consegue criar tensão, o quanto ele consegue impressionar, e o quanto ele consegue te intrigar até a chegada do final, que é de cair o queixo. Um dos melhores filmes contados de trás pra frente que eu já assisti na minha vida.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: