Skip to content

Review: Como Treinar O Seu Dragão (How To Train Your Dragon, 2010)

30/03/2010

O que faz a Pixar um estúdio de animação tão superior quanto todos os outros, como a Dreamworks, é que eles conseguem fazer filmes divertidos e emocionais para todos, sem ser bobo e subestimar a inteligência das pessoas. O novo filme da Dreamworks, Como Treinar O Seu Dragão, não elimina todos os lugares comuns que enchem a maioria das animações, mas é um filme muito acima da médias, e é provavelmente o melhor filme que esse estúdio já produziu; é, por incrível que pareça, grande competição para Toy Story 3 esse ano. O filme conta a história de uma vila de vinkings que é constantemente atacada por dragões. Um jovem viking chamado Hiccup residente da vila e filho do chefe é uma criança que sonha em matar dragões como o resto dos vikings, só que é sempre deixado de lado por suas inabilidades na tarefa. No dia que ele consegue acertar um dragão e vai procurá-lo na floresta, descobre coisas sobre si mesmo e sobre a situação em que eles vivem, e tudo começa a mudar.

Impossível falar sobre esse sem começar por isso: a animação nesse filme tem uma beleza embasbacante. As cenas de vôos dos dragões rivalizam tranqüilamente com as cenas dos vôos das Banshees em Avatar (2009). E falando em rivalizar com Avatar, acredito que algumas comparações são pertinentes, até porque a história se assemelha em alguns pontos, e,  assim como Avatar, Como Treinar O Seu Dragão apresenta um dos melhores usos da tecnologia 3D até o momento. Esse filme é com certeza um dos que mostra como se usa o 3D a favor de uma história, em conjunto com visuais magníficos para impressionar o espectador. E eu diria que só pelo deslumbramento de algumas cenas, o preço do ingresso já foi bem pago.

Com relação à história, eu encontrei várias semelhanças com o penúltimo filme do estúdio, Kung Fu Panda, porém a maior parte dos elementos do roteiro de Como Treinar O Seu Dragão tem qualidade narrativa superior, o que faz o filme ser mais atrativo para jovens e adultos, e torna a história e os personagens mais acreditáveis. A relação entre o garoto e o dragão é muito bem construída, e a personalidade do dragão, por assim dizer, também é muito bem criada, sem todas aquelas caras bobas para fazer graça, e aqueles cacuetes de seres humanos colocados artificialmente em animais, também para fazer graça. A história tem sim algumas partes em que se volta para dispositivos de roteiro reusados de vários filmes já produzidos pela Dreamworks, e isso diminui um pouco o impacto que o filme causa, mas nada que tire drasticamente do entretenimento.

No final das contas o filme é um excelente entretenimento com visuais impressionantes, e que apresenta alguns pontos fracos de roteiro, mas não por faz algumas coisas erradas em específico, mas por faltar um pouco em criatividade e inovação. Ainda assim terminará o ano como uma das grandes animações de 2010.

Nota: 8,5 de 10,0

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: