Skip to content

Review: Toy Story 3 (Toy Story 3, 2010)

22/07/2010

E é então que chega uma das minhas épocas preferidas do ano: o lançamento do filme anual da Pixar. E esse não é um lançamento qualquer. É a continuação de uma franquia que já é um clássico do cinema com seus primeiros dois filmes. Os filmes Toy Story (1995) e Toy Story 2 (1999) foram sucessos enormes, tanto de crítica quanto de público, o que explica toda a expectativa para o final da trilogia. É também a primeira tentativa como diretor principal de Lee Unkrich, que foi co-diretor em Toy Story 2 (1999), Monstros S. A. (Monsters, Inc., 2001) e Procurando Nemo (Finding Nemo, 2003). O filme parte sua história com o garoto Andy, dono dos brinquedos, partindo para a faculdade, deixando os brinquedos sem um dono. Depois disso eles são acidentalmente doados para uma creche, para divertir outras crianças, e ao conhecer os brinquedos já residentes da creche, a aventura começa.

Faz 3 anos que eu acredito que a Pixar tem feito todo ano seu melhor filme até o momento. Com Ratatouille em 2007, depois com WALL-E em 2008 e então com Up em 2009. Não acho que Toy Story 3 tenha continuado essa marca sendo melhor que todos os outros, mas com certeza chega muito perto. A habilidade que esse estúdio tem de criar emoção verdadeira sem se apoiar em sentimentos baratos é impressionante. Eles conseguem fazer uma animação com todos os atrativos necessários para agradar o público infantil, sem nunca precisar ser de fato infantil e bobo. Eles não subestimam as crianças fazendo qualquer coisa só porque crianças gostam de qualquer coisa que seja colorido e cheio de ação.

Toy Story 3 é uma aventura intensa como poucas que a Pixar já fez. É cheio de momentos de tensão e de velocidade que te deixa até um pouco exausto como deixaria um bom filme de aventura ou ação. Esses momentos são intercalados com o humor característico do estúdio, que consegue fazer humor de qualidade sem precisar apelar pra piadas baratas, como chutes no saco e frases muito reusadas. Atenção para as cenas com o Ken e com o Buzz (quando vocês virem o filme vocês vão entender). O filme é muito bem construído, quase tudo que acontece tem sua razão de estar lá e é tudo muito bem colocado. Sem falar do final desse filme que é emocionante em várias partes e de várias formas possíveis.

É complicado agora falar das partes ruins do filme, eu sinto que eu estou procurando demais. Eu poderia falar do vilão, que até teve uma boa construção, mas que, principalmente se aproximando do final, ele fica meio estereotipado com uma uma personificação do mau que é tão usada por aí, e que me incomodou um pouco por não apresentar tanto realismo assim. Fora isso não tenho nada a dizer. Exceto talvez que ele poderia ter mais umas ou duas horas de duração, porque eu estava preparado para mais.

No final das contas Toy Story é, na minha opinião, o melhor da trilogia, um dos melhores que a Pixar já fez, e o melhor do ano até o momento. Trilogia essa que se tornou nos EUA a trilogia de lançamento mundial mais bem sucedida criticamente da história, já que no Rotten Tomatoes os três filmes tem respectivamente 100%, 100% e 99%. E é sem dúvida uma das melhores trilogias que já foram lançadas no cinema.

Nota: 9,5 de 10

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: