Skip to content

Review: Contra o Tempo (Source Code, 2011)

16/10/2011

Bom, já faz um tempo que eu não escrevo reviews, e está na hora de voltar, visto que eu realmente quero manter esse blog vivo. E eu venho assistindo uma boa quantidade de novos filmes ultimamente, então nada mais justo do que divulgar minha opinião sobre eles. Contra o Tempo é segundo filme dirigido por Dunca Jones, que teve sua estréia diretorial com o grande Lunar (Moon, 2009), que entrou na minha lista dos melhores filmes de 2009. Você pode perceber então que esse seria um filme particularmente esperado por mim.

O filme começa com um homem e uma mulher em uma viagem de trem. O homem porém não lembra como chegou ali e porque a mulher parece o confundir com outra pessoa. Em um momento o trem explode, e o homem, chamado Colter Stevens, aparece em uma cabine, onde uma pequena tv aparece com uma mulher explicando que ele está sendo mandado de alguma forma para um evento de um atentado terrorista que ocorreu no mesmo dia mais cedo, e então a mesma viagem de trem começa a se repetir.

Vamos primeiro falar sobre as partes boas do filme. Jake Gyllenhaal como sempre mostra serviço e traz uma grande quantidade de personalidade a personagem. Além dele o filme conta com duas atrizes que eu gosto muito, Michelle Monaghan e Vera Farmiga, e ambas carregam seus papéis com muita precisão. Ninguém vai ganhar um Oscar, mas certamente não há nada do que reclamar nesse quesito.

Em comparação com Lunar a história acaba apresentando um pouco mais de elementos dramáticos, o que é em parte bom e em parte ruim. Ele consegue em vários momentos puxar melhor o público no sentido de provocar sentimentos. Por outro lado também sacrifica um pouco da proximidade com a realidade. Mas a história de forma geral é o que mais ajuda o filme a funcionar. Ele acaba sendo basicamente um blockbuster de ação que você não precisa desligar o cérebro para assistir. E ele funciona como tal.

Tenho que admitir que ele caiu um pouco demais em tendências hollywoodianas do que eu gostaria. Em alguns momentos você se encontra desejando que certas coisas não aconteçam como você espera, mas você acaba perdoando porque existe diversão o suficiente no filme para isso.

Uma última coisa que eu preciso comentar é de que conforme o terceiro ato se aproxima, a gente acaba tendo uma boa ideia de que existem duas formas como o filme pode terminar. Inicialmente eles escolheram terminar com a que me agradava menos, mas da forma que foi feito eu acabei gostando mais do final do que eu esperava.

Concluindo, Contra o Tempo é um filme que eu não sei o quanto vai sobreviver entre os melhores filmes do ano, mas eu recomendo todos verem com certeza. Eu acredito que Lunar seja um filme mais redondo, mas Contra o Tempo tem também certas qualidades que Lunar não tem, sendo na minha opinião uma sequência digna à carreira de Duncan Jones.

Nota: 8,5 de 10

One Comment leave one →
  1. Elisângela permalink
    11/06/2012 21:57

    É um filme sobre o drama humano, a tragédia da morte, o que virá depois, disfarçado de ficção científica, que me surpreendeu. Assim como o filme Gattaca que eu amo, assim como Equilibrium, outro que eu amo, assim como o seriado Fringe. Surpreendeu-me !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: