Skip to content

Os Melhores Filmes de 2011 Segundo Quentin Tarantino

18/01/2012

Quentin Tarantino, como todos sabemos, é um dos maiores “fanboys” de cinema dentre os diretores famosos existentes. Como tal, é claro que todo final de ano ele divulga sua lista de filmes preferidos, sempre também com alguma escolhas no mínimo curiosas. Esse ano além dos melhores ele faz também premiações de menções honrosas, boas tentativas, melhor direção, melhor roteiro, piores filmes, etc. Todas essas listas podem ser encontradas no site dele, mas eu pensei em escrever aqui o top 11 (ou 12):

  1. Meia-noite em Paris (Midnight in Paris, Woody Allen)
  2. Planeta dos Macacos: A Origem (Rise of the Planet of the Apes, Rupert Wyatt)
  3. O Homem Que Mudou o Jogo (Moneyball, Bennett Miller)
  4. A Pele Que Habito (La Piel Que Habito, Pedro Almodóvar)
  5. X-Men: Primeira Classe (X-Men: First Class, Matthew Vaughn)
  6. Jovens Adultos (Young Adult, Jason Reitman)
  7. Ataque ao Prédio (Attack the Block, Joe Cornish)
  8. Red State (Kevin Smith)
  9. Guerreiro (Warrior, Gavin O’Connor)
  10. O Artista (The Artist, Michel Hazanavicius) / Maluco Beleza (Our Idiot Brother, Jesse Peretz) <empate>
  11. Os Três Mosqueteiros (The Three Musketeers, Paul W. S. Anderson)

Enfim, eu não tenho nada contra a lista em geral. Eu não vi todos os esse filmes, mas os que eu vi eu certamente gostei muito e acho no mínimo dignos de menção ao falar sobre o ano de 2011.

Menos um.

Eu confesso que eu já considero Os Três Mosqueteiros provavelmente um dos cinco piores filmes que eu vi nos últimos dez anos. Mas de qualquer forma, cada um com seu cada um, eu só agradeço ao sr. Tarantino por não fazer filmes com a mesma qualidade dos que ele gosta.

Anúncios

Tentando Adivinhar os Globos de Ouro 2012

15/01/2012

Hoje a noite assistiremos (todos nós com certeza) ao 69º Globos de Ouro, e nada mais justa do que haver uma pequena discussão sobre os possíveis ganhadores. Embora eu questione a relevância dos resultados dessa premiação mais do que qualquer outra, ela não deixa de ser a segunda maior (em grandeza de espetáculo) premiação de filmes do mundo. E com Ricky Gervais como host novamente (YES!) com certeza vamos ao menos nos divertir bastante.

Não vou prolongar muito esse texto, quero mesmo só apresentar os indicados e quem eu acredito que vá ganhar. No Oscar eu provavelmente foi escrever também quem eu gostaria que ganhasse e quem eu gostaria que tivesse sido indicado, mas como eu ainda não vi tantos desses filmes eu vou me manter só com meus palpites de vencedor para os Globos de Ouro. Meus palpites (que até aqui são basicamente chutes) estão em negrito:

 

Melhor Filme – Drama

  1. Os Decendentes (The Descendants)
  2. Histórias Cruzadas (The Help)
  3. A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
  4. Tudo Pelo Poder (The Ides of March)
  5. O Homem Que Mudou o Jogo (Moneyball)
  6. Cavalo de Guerra (War Horse)

 

Melhor Atriz – Drama

  1. Glenn Close (Albert Nobbs)
  2. Viola Davis (Histórias Cruzadas “The Help”)
  3. Rooney Mara (Os Homens Que Não Amavam as Mulheres “The Girl With the Dragon Tattoo”)
  4. Meryl Streep (A Dama de Ferro “The Iron Lady”)
  5. Tilda Swinton (Precisamos Falar Sobre Kevin “We Need To Talk Abou Kevin”)

 

Melhor Ator – Drama

  1. George Clooney (Os Descendentes “The Descendants”)
  2. Leonardo DiCaprio (J. Edgar)
  3. Michael Fassbender (Shame)
  4. Ryan Gosling (Tudo Pelo Poder “The Ides of March”)
  5. Brad Pitt (O Homem Que Mudou o Jogo “Moneyball”)

 

Melhor Filme – Comédia ou Musical

  1. 50% (50/50)
  2. The Artist
  3. Missão Madrinha de Casamento (Bridesmaids)
  4. Meia-Noite Em Paris (Midnight in Paris)
  5. Sete Dias com Marilyn (My Week With Marilyn)

 

Melhor Atriz – Comédia ou Musical

  1. Jodie Foster (Carnage)
  2. Charlize Theron (Jovens Adultos “Young Adult”)
  3. Kristen Wiig (Missão Madrinha de Casamento “Bridesmaids”)
  4. Michelle Williams (Sete Dias com Marilyn “My Week With Marilyn”)
  5. Kate Winslet (Carnage)

 

Melhor Ator – Comédia ou Musical

  1. Jean Dujardin (The Artist)
  2. Brendan Gleeson (O Guarda “The Guard”)
  3. Joseph Gordon-Levitt (50% “50/50”)
  4. Ryan Gosling (Amor a Toda Prova “Crazy, Stupid, Love”)
  5. Owen Wilson (Meia-Noite em Paris “Midnight in Paris”)

 

Melhor Filme de Animação

  1. As Aventuras de Tintim (The Adventures of Tintin)
  2. Operação Presente (Arthur Christmas)
  3. Carros 2 (Cars 2)
  4. Gato de Botas (Puss in Boots)
  5. Rango

 

Melhor Filme em Língua Estrangeira

  1. The Flowers of War (China)
  2. In The Land of Blood and Honey (EUA)
  3. O Garoto de Bicicleta (Bélgica)
  4. A Separação (Irã)
  5. A Pele Que Habito (Espanha)

 

Melhor Atriz Coadjuvante

  1. Berenice Bejo (The Artist)
  2. Jessica Chastain (Histórias Cruzadas “The Help”)
  3. Janet McTeer (Albert Nobbs)
  4. Octavia Spencer (Histórias Cruzadas “The Help”)
  5. Shailene Woodley (Os Descendentes “The Descendants”)

 

Melhor Ator Coadjuvante

  1. Kenneth Branagh (Sete Dias com Marilyn “My Week With Marilyn”)
  2. Albert Brooks (Drive)
  3. Jonah Hill (O Homem Que Mudou o Jogo “Moneyball”)
  4. Viggo Mortensen (Um Método Perigoso “A Dangerous Method”)
  5. Christopher Plummer (Toda Forma de Amor “Beginners”)

 

Melhor Diretor

  1. Woody Allen (Meia-Noite em Paris “Midnight in Paris”)
  2. George Clooney (Tudo Pelo Poder “The Ides of March”)
  3. Michel Hazanavicius (The Artist)
  4. Alexander Payne (Os Decendentes “The Descendants”)
  5. Martin Scorsese (A Invenção de Hugo Cabret “Hugo”)

 

Melhor Roteiro

  1. Woody Allen (Meia-Noite em Paris “Midnight in Paris”)
  2. George Clooney, Heslov, Beau Willimon (Tudo Pelo Poder “The Ides of March”)
  3. Michel Hazanavicius (The Artist)
  4. Alexander Payne, Nat Faxon, Jim Rash (Os Descendentes “The Descendants”)
  5. Stan Chervin, Steven Zaillan, Aaron Sorkin (O Homem Que Mudou o Jogo “Moneyball”)

 

Melhor Trilha Sonora Original

  1. Ludovic Bource (The Artist)
  2. Abel Korzeniowski (W.E. – O Romance do Século)
  3. Trent Reznor, Atticus Ross (Os Homens Que Não Amavam As Mulheres “The Girl With the Dragon Tattoo”)
  4. Howard Shore (A Invenção de Hugo Cabret “Hugo”)
  5. John Williams (Cavalo de Guerra “War Horse”)

Review: Our Idiot Brother (2011)

07/01/2012

Sou fã de Paul Rudd desde O Virgem de 40 Anos, e obviamente quando eu descobri que ele estaria estrelando em um filme, em conjunto com a minha musa Zooey Deschanel, mais duas atrizes que eu gosto muito, Elizabeth Banks e Emily Mortimer, eu tive que colocar esse filme na minha lista. Ele conta a história basicamente de um homem sem preocupações e inocente demais convivendo com suas três irmãs completamente diferentes dele. Ned, com sua sinceridade e boa vontade em excesso acaba por “atrapalhar” de certa forma a vida das pessoas a sua volta.

Eu tenho que começar esse texto ressaltando que eu adorei o filme. Não tem nada de muito espetacular, mas com certeza merece mais crédito do que está recebendo. Pra começar, ele é primariamente uma comédia, e desta forma precisa ser necessariamente divertido para funcionar, e o humor realmente funciona, principalmente em função dos protagonistas. Além disso, eventualmente ele muda de engrenagens para apresentar um pouco de drama, que também funciona por causa de quão bem foram construídas as personagens.

Paul Rudd retrata essa personagem com maestria, e todas as atrizes que eu comentei com os papéis coadjuvantes também são ótimas. E é justamente a relação entre todos os irmãos, e a análise da personalidade de cada um em contraste, que faz o filme ser tão agradável de se ver.

Talvez ele pudesse ser um pouco mais eficaz emocionalmente se tratasse de seus temas com um pouco mais de profundidade. Vários temas interessantes são apresentados no filme, mas em geral de forma bem superficial, o que atrapalha um pouco o nosso investimento na história.

Concluindo, Our Idiot Brother é um filme que eu definitivamente recomendo se você tiver a procura de um filme divertido com personagens interessantes e carismáticos, que vão deixar você querendo assisti-los interagindo por mais tempo.

Nota: 8,0 de 10,0

Primeiro Trailer Completo de Brave

20/11/2011

Todos sabemos que, independente de quantos Carros sejam lançados, a Pixar sempre tem grandes chances de lançar um dos melhores filmes do ano todo ano. O filme que o estúdio lançará em 2012 se chama Valente, e o seu primeiro trailer completo acabou de sair. Eu tenho que dizer que esse definitivamente tem potencial para trazer a mágica da Pixar de volta. Apesar de ter algumas tentativas de humor que eu achei meio “Disney” demais, o trailer me tirou o fôlego. Mas vejam por vocês mesmos:

 

 

Fonte: Film School Rejects

For Your Consideration… Harry Potter

12/11/2011

Não sei se todos vocês já viram isso, mas todo ano, conforme vamos nos aproximando das épocas de premiações, os estúdios começam a trabalhar com força em campanhas para o Oscar. Em geral são feitos pôsters ou vídeos com o título de “For your consideration” apresentando seus filmes mais fortes e categorias nas quais os próprios estúdios acham que eles deveriam ser “considerados”. Ainda estamos no meio de novembro, mas a Warner Bros. já lançou o primeiro vídeo de divulgação de Harry Potter:

Gostei bastante do vídeo, e acredito ser válida a tentativa. Se existe algum filme da franquia que tem chance de levar algo pra casa, é esse último. Pessoalmente, eu acredito que seja o melhor dos oito, e um dos melhores filmes do ano até o momento. Muitos filmes ainda estão para sair, ainda mais aqui no Brasil onde em geral os filmes que realmente tem chances de ganhar Oscars entram no cinema por volta de janeiro e fevereiro do ano que vem. Vamos esperar o que vem por aí, mas a esperança é a última que morre.

Fonte: First Showing

O Ano Em Que a Pixar Deixa a Disputa de Animações Um Pouco Mais Interessante

08/11/2011

Não é surpresa para ninguém o domínio que a Pixar tem sobre a categoria de animação em basicamente todas as premiações existentes. E se você me conhece um pouco que seja, você sabe que eu concordo completamente com isso. O estúdio simplesmente não erra. Ou pelo menos quase nunca. Confesso que eu ainda não assisti Carros 2 (preciso corrigir isso rápido), mas pelo que dizem não é exatamente o mesmo nível de qualidade que estamos acostumados a receber deles. Sendo assim, é possível que tenhamos (surpresa surpresa) uma disputa equilibrada.

Rango, por exemplo, é um filme que nunca mereceria um prêmio contra os melhores da Pixar, mas esse ano com certeza é um grande candidato. Ou então Gato de Botas, o spin-off de Shrek que parece ser bem divertido. Ou ainda As Aventuras de Tintim, produzido por Steven Spielberg e Peter Jackson e que vem sendo bem elogiado. Sem esquecer também de Kung Fu Panda 2, ou o filme do novo do brasileiro Carlos Saldanha, Rio. E, pra falar a verdade, muitos outros.

E a parte interessante não é só essa. Em geral a categoria de animação acaba ficando somente com três indicados. Pelas regras do Oscar é preciso ter pelo menos 16 filmes elegíveis na disputa para que tenhamos cinco indicados. Pois então senhores, esse ano 18 foram submetidos para consideração:

  • Rango
  • Kung Fu Panda 2
  • Gato de Botas
  • Rio
  • Carros 2
  • Deu a Louca na Chapeuzinho 2
  • Gnomeu e Julieta
  • Marte Precisa de Mães
  • O Ursinho Pooh
  • As Aventuras de Tintim
  • Operação Presente
  • Happy Feet 2
  • Alvin e os Esquilos 3
  • Os Smurfs
  • Alois Nebel
  • Um Gato em Paris
  • Chico & Rita
  • Wrinkles

Dessa forma, considerando que todos esses sejam considerados elegíveis pela academia, cinco desses serão indicados. Meu palpite tendo visto muito poucos deles seria Carros 2, Tintim, Rango, Kung Fu Panda 2 e Gato de Botas. Mas o que importa é que no próximo Oscar teremos uma disputa de verdade, e vai ser interessante tentar pensar nos candidatos conforme a data se aproxima.

Fonte: /Film

Review: Contágio (Contagion, 2011)

03/11/2011

Esse filme passou completamente despercebido pelo meu radar. Eu só sei que um dia muito tempo atrás eu vi um trailer dele, e nunca mais ouvi falar. O que eu acho surpreendente dado que ele tem um dos elencos mais impressionantes que eu já vi em muito tempo. A história basicamente começa com uma mulher voltando de sua viagem à Hong Kong indo ao encontro de sua família. Ela porém começa a apresentar sintomas estranhos que vão se agravando rapidamente até sua morte. Diversas pessoas em lugares diferentes começam a parecer sofrer da mesma doença e uma corrida começa para parar a epidemia.

Eu vou começar falando um pouco das qualidades do filme, que são muitas, mas não vai tomar muito espaço. As atuações, como já era de se esperar, são perto de impecáveis. Kate Winslet, Matt Damon, John Hawke, Laurence Fishburne, Marion Cotillard, …, e a lista só continua. Essas são todas pessoas que não precisariam de nenhum tipo de guia pra fazer um bom trabalho, e ainda assim Steven Soderbergh já é conhecido como bom diretor de atores, era previsível que isso seria uma qualidade clara do filme.

Além disso eu queria comentar simplesmente que o filme é interessante. Eu não costumo gostar de filmes sobre epidemias com frequência, não sei exatamente porque, só sei que em geral eu não consigo me entreter tanto. Esse filme faz muito bem a conexão emocional com as personagens com o objetivo de fazer você realmente se importar com o que está acontecendo. Isso realmente fez a diferença.

Agora para o outro lado da moeda. O filme é muito bem acabado e muito corretamente construído. Ok, eu sei que isso é uma qualidade, eu não estou ficando doido. A questão é que o filme realmente não toma nenhum risco. Ele não tenta ir em lugares que não foram explorados. Ele é aquele típico filme muito bom que não tem nada de especial. É uma das grandes provas de que o filme pode ser perto de impecável, mas mesmo assim não ser impactante.

E eu tenho que confessar que todos os filmes que eu já vi do Steven Soderbergh tem efeitos parecidos em mim, e todos que eu não vi dele mas vi trailer me dão a mesma impressão. Talvez seja algo bem pessoal meu, mas enfim.

No mais, não vai ser um filme que vai ficar na minha memória por muito tempo, mas é um filme que eu recomendo todos verem, porque tem qualidade inegável.

Nota: 8,0 de 10,0